Boa Comunicação: O Melhor “Cartão de Visitas”

imagem texto blog boa comunicação,

Boa Comunicação

No mercado atual, a competência também precisa estar agregada a uma boa comunicação. Não importa o segmento, a “aparência” da empresa e questões, como construção de marca e preocupação com o marketing, são fundamentais para manutenção e desenvolvimento empresarial. A empresária de Curitiba Luana Assis, sócia-proprietária da empresa de consultoria Bioqualitas, especializada na segurança de alimentos, foi impactada com essa realidade quando percebeu que não tinha nem cartão de visitas.


“A empresa foi crescendo, mas a comunicação estava completamente ultrapassada”, conta Luana. Fundada há mais de dez anos, a empresa realiza diversas consultorias na área de saúde e conta com uma equipe especializada. “O trabalho foi aumentando e íamos adiando o material de comunicação interno. Quando nos demos conta, estávamos completamente desatualizados nessa área, enquanto profissionalmente estávamos crescendo. Mas uma coisa tem que acompanhar a outra”, considera Luana.

A empresa é tão conceituada no mercado que também presta consultoria para a área de saúde dentro do Programa Sebraetec. Por isso, quando Luana percebeu, não hesitou também em solicitar a consultoria do Sebraetec para a própria demanda em comunicação.  A consultoria em marketing e branding, que ajuda a empresa a construir a própria marca, foi decisiva para desenvolver e consolidar uma identidade visual para a empresa.

Foram produzidos, além do site, folders e cartões de visita.

“Agora tenho material adequado para apresentar para qualquer cliente. Uma comunicação que representa o profissionalismo da empresa”, conta Luana.

Para ela, o subsídio do Sebraetec foi essencial para desenvolver essa comunicação, tanto na parte prática como na questão financeira. “Antes, nem site tínhamos. Agora estamos mais capacitados também na apresentação”, diz.

Uma consultoria na comunicação é fundamental para as empresas se destacarem no mercado. A comunicação é parte estratégica do crescimento e deve ser levada em conta tanto para as empresas iniciantes como para se manter no mercado. Rever essa comunicação a cada cinco anos é uma indicação dos especialistas para que não aconteça um desencontro entre o que a empresa pode oferecer e o que ela aparenta. “É preciso acompanhar as mudanças tecnológicas não apenas nos serviços prestados, mas também na comunicação”, considera Luana.

Fonte: Revista Sebraetec – Cases de Sucesso


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *