Marketing de Alimentos: o que é, vantagens e como funciona

Marketing de Alimentos

A indústria dos alimentos, diferentemente do que muitos podem pensar, também precisa divulgar seus produtos. Afinal, comidas e bebidas não se vendem por conta própria, e é aí que entra o Marketing de Alimentos.

Mas apesar desse nicho possibilitar – e até mesmo precisar – de um bom marketing para se distinguir da concorrência, a indústria alimentícia apresenta um desafio incomum aos profissionais de marketing: ela lida diretamente com a saúde das pessoas. 

Portanto, viemos explicar o que é o Marketing de Alimentos, suas principais vantagens, desafios e como você pode criar uma ótima estratégia!

O que é e como funciona o Marketing de Alimentos

Embora as pessoas tenham uma necessidade inevitável de consumir alimentos e bebidas, estamos falando de um mercado extremamente competitivo. 

Logo, para conquistar uma base sólida de clientes e estabelecer sua marca, você precisa investir em uma estratégia de marketing voltada para essa indústria.

Mas não basta criar uma campanha de e-mail marketing ou criar anúncios no Google. Estamos falando de um nicho de mercado que requer um alinhamento dos seus interesses comerciais aos do seu consumidor, com ética e responsabilidade.

Um dos grandes objetivos do marketing de alimentos é o fortalecimento da marca, fazendo com que o consumidor crie preferência pelos seus produtos em relação aos demais. 

Como colocar o marketing de alimentos em prática

A estratégia se faz presente em anúncios, nas redes sociais, na identidade visual utilizada nos pontos de venda, e claro, nos rótulos dos produtos. 

Afinal, as pessoas querem saber se o que elas vão comer faz bem ou mal à saúde, entre outras coisas. Por isso, forneça as informações mais importantes dos seus produtos nos rótulos e embalagens. Seja claro e transparente. 

Isso gera uma percepção positiva da sua marca aos olhos do consumidor, pois ele irá entender que você realmente se preocupa com a saúde dele. 

Não estamos falando apenas sobre informações nutricionais, mas também os grandes diferenciais dos produtos, além de detalhes sobre a composição deles. Garanta que o consumidor receba todas essas informações antes de adquiri-los!

Além de se preocupar com a clareza das informações cedidas ao consumidor, você também deve se atentar à legislação vigente que permeia essa indústria. Órgãos como o Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (CONAR) prestam um serviço de fiscalização para garantir que o seu marketing não esteja infringindo nenhum parâmetro legal. 

Conheça seu público

Toda e qualquer boa estratégia de marketing na era digital pressupõe um entendimento profundo em relação ao público-alvo que ela busca impactar. Mas não há uma fórmula mágica para fazer isso acontecer, claro: você deve estudar sua clientela e potenciais compradores!

Uma ótima maneira de realizar isso é criando uma jornada do cliente, que se inicia ao mapear um segmento potencial de clientes traçando seu perfil, qualidades, defeitos, necessidades, características, etc.

Em seguida, se atente aos pontos de contato do consumidor com a sua empresa, como o momento de compra, por exemplo. Para fazer isso, realize um mapeamento completo do seu atendimento, pois é nele que irá perceber e compreender esses pontos de contato e fazer os ajustes necessários a partir de uma visão completa do público.

Após realizar essas etapas, você estará pronto para colocar sua buyer persona em jogo e, enfim, criar a jornada do cliente na sua empresa para corroborar de maneira valiosa com a sua estratégia de marketing.

Crie conteúdos de qualidade

Um excelente diferencial para empresas da indústria alimentícia é a produção de conteúdos relevantes e bem feitos. Um blog bem abastecido com dicas de culinária, por exemplo, é uma excelente pedida.

Se você possui uma loja de cafés especiais, é natural escrever sobre as melhores combinações para degustá-los, não é mesmo? Mas não só isso: explore as origens dos produtos, dos ingredientes, descreva o processo de produção daqueles cafés desde o plantio em um terroir adequado até sua torra e distribuição.

Quanto mais riqueza de informação o seu público tiver a partir dos seus conteúdos, melhor! 

Além disso, você pode criar uma newsletter sazonal e abastecer seu público com novidades, ofertas, curiosidades e mais. Isso sem falar nos e-books e na valiosa produção de conteúdo para as redes sociais, é claro! 

Supervisione os resultados da sua estratégia de marketing para alimentos

Não basta somente criar uma buyer persona, colocar a jornada do cliente em prática, produzir bons materiais e abastecer sua clientela com o que há de mais importante para saber sobre os seus produtos. Você precisa mensurar o impacto de cada uma dessas práticas para compreender o que deve ser ajustado, o que está funcionando e o que pode melhorar.

Atente-se aos indicadores-chave de desempenho (KPIs), claro, mas também ao que seus clientes têm a dizer sobre tudo isso. Faça esse levantamento, afinal, o marketing para alimentos não serve apenas para melhorar suas vendas, mas também busca criar uma relação duradoura e de confiança com o consumidor final. 

Assim, você garante a preferência e fidelidade dele, encaminhando uma nova compra cada vez que ele precisar de um produto produzido por você. 

Gostou do conteúdo? Então compartilhe-o com sua família e os seus amigos e confira as outras postagens do nosso blog!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *